Total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Construção - eu e o blog

É com alegria que inauguro meu blog, convidando-o para momentos de reflexão e, se Deus quiser, muita edificação, e por que não dizer também diversão!

“Nenhum manto de unção pastoral permite que ultrapassemos ou negligenciemos nossa verdadeira humanidade, e a influência duradoura no ministério do líder só será proporcional à sua eficácia no aprendizado da vida”. Jack Hayford

Enquanto construo o blog, como parceiro de Deus, também erijo mais uma fase de minha existência, buscando o supracitado aprendizado da vida, através do zelo por minha humanidade.

O Apóstolo Paulo, falando aos irmãos efésios, explicou: “E Nele também vós juntamente sois construídos para morada de Deus no Espírito” (Ef 2:22).

À cada dia, em Jesus, somos construídos por Deus no espírito, na alma e no corpo. Mas, quantas vezes precisamos passar por demolições de certas estruturas previamente edificadas em nós! Edificações tortas e infiltradas que palavras e conceitos malignos nos infringiram. Mas é assim: Deus desmancha e constrói em nós Seu propósito.

Mas, tal construção Divina depende muito de estarmos cônscios de nossa humanidade e necessidade de reformas.

Pessoas e vãs filosofias tentam roubar esta consciência, desviando-nos a padrões mentais encarcerados por falsos modelos religiosos.

Lembro-me de certa vez, num momento de distração santa, cercado apenas por irmãos de fé, uma pré-adolescente disse-me: - “Pastores não podem ir à piscina!”. “Quem te disse isso?” – perguntei impressionado. Procurei desconstruir este falso conceito e ela entendeu sem problemas. Entretanto, mais do que preocupar-me com questões de legalismo, tais palavras levaram-me à reflexão sobre o perigo do roubo de nossa humanidade e o aprisionamento de nosso eu em cadeiras de expectativas que nada têm haver com santidade, mas sim com falsa religiosidade.

D-us nos livre deste jugo! Busquemos a cada dia sermos mais humanos, pois Jesus, mesmo sendo afeito à linha teológica geral do farisaísmo, nunca permitiu ser engaiolado por expectativas dogmáticas inconsistentes de alguns fariseus, pelas quais exigiam que ficasse longe de pecadores, publicanos e outros seres humanos, dignos de misericórdia e de uma mão estendida.

Zelando por nossa humanidade, podemos reconhecer - líderes espirituais ou não - nossa necessidade do Senhor e de Sua construção em nossas vidas.

Jack também escreveu uma linda oração que remata minhas palavras: “Reconhecemos em primeiro lugar e, principalmente, que antes éramos ovelhas perdidas. Admitimos, porém, que embora venhamos a ser proficientes no pastorado, jamais esqueceremos que continuamos muito semelhantes às ovelhas e sempre necessitados de Ti.

O דם (Dam, i.e., sangue) do Cordeiro foi derramado para purificar o אדם (Adam, i.e, o homem, a humanidade)!

Em busca da constante construção de minha humanidade,

Seu irmão Tiago, um ser humano.
שלום

Nenhum comentário:

Postar um comentário